Busca:     


Cultura política e democracia

José Antonio Segatto - Maio 2020
 



José Antonio Segatto. Cultura política e democracia. Curitiba: Ed. CRV, 2020.

Este livro √© uma antologia de artigos e ensaios, pesquisas e estudos, elaborados e divulgados em momentos diferentes e para fins variados nas √ļltimas d√©cadas. Comp√Ķe-se, em sua maioria, de artigos (26) publicados no jornal O Estado de S. Paulo, escritos para tentar compreender e sugerir alternativas a problemas postos pela conjuntura no quinqu√™nio 2014/19. Elaborados na forma de ensaios sucintos, abordam temas muito distintos: universidades p√ļblicas, teoria pol√≠tica, Estado e sociedade civil, partidos e elei√ß√Ķes, organiza√ß√Ķes sindicais, esquerda e direita, revolu√ß√£o e rea√ß√£o, globaliza√ß√£o, etc. - s√£o, portanto, textos de interven√ß√£o pol√≠tica e seu norte √© a defesa de valores e pr√°ticas democr√°ticas e dos direitos de cidadania.

Os demais (16) textos, publicados originalmente como cap√≠tulos de livro ou artigos de revista, abarcam problemas como as rela√ß√Ķes entre literatura e hist√≥ria, o papel dos intelectuais, os militares e a pol√≠tica, as rela√ß√Ķes de trabalho, a pr√°xis e a cultura pol√≠tica, al√©m de outros assuntos. Todos eles, ressalte-se, t√™m a an√°lise historicamente referenciada e fundamentada.¬†

Foram agrupados em nove cap√≠tulos, por temas gen√©ricos e dispostos numa sequ√™ncia l√≥gica. O primeiro aborda a rela√ß√£o entre literatura e hist√≥ria nos romances O leopardo, de G. T. di Lampedusa (cotejado com textos de A. Gramsci sobre o Risorgimento), Esa√ļ e Jac√≥, de Machado de Assis, e o conto 1¬ļ de maio, de M√°rio de Andrade; examina como literatura e hist√≥ria, com m√©todos e meios, formas e linguagens distintas fornecem elementos essenciais para o conhecimento da realidade hist√≥rica e √© complementado por uma resenha cr√≠tica do livro Martinha versus Lucr√©cia de Roberto Schwarz.

Segue-se um cap√≠tulo que analisa intelectuais de v√°rios tipos e o papel que desempenharam na organiza√ß√£o e difus√£o de culturas pol√≠ticas: Antonio Gramsci, Jos√© Carlos Mari√°tegui, Caio Prado J√ļnior, Nelson Werneck Sodr√© e Oct√°vio Ianni. Encerrando esse primeiro bloco, discutem-se os paradoxos e os problemas da universidade p√ļblica e os desafios para sua efetiva publiciza√ß√£o e democratiza√ß√£o.

Os cinco cap√≠tulos seguintes ocupam-se do processo hist√≥rico-pol√≠tico em sentido lato no Brasil. T√™m como intuito a reflex√£o sobre as dif√≠ceis rela√ß√Ķes entre Estado e sociedade civil, as vicissitudes de uma democracia limitada e contingente, a restri√ß√£o dos direitos de cidadania, a reatualiza√ß√£o da cultura pol√≠tica autorit√°ria, a conten√ß√£o do protagonismo dos subalternos, a dissocia√ß√£o entre representantes e representados, a judicializa√ß√£o da pol√≠tica, as institui√ß√Ķes e poderes destitu√≠dos de f√© p√ļblica, os partidos privados de ideais e compromissos c√≠vicos, etc.

Fecha a colet√Ęnea um cap√≠tulo com quatro artigos. Os dois primeiros procuram indagar e avaliar como e por que as revolu√ß√Ķes russa (1917) e cubana (1959), que inicialmente exerceram invulgar fasc√≠nio e despertaram mesmo esperan√ßa de emancipa√ß√£o dos subalternos no mundo todo, chegaram √† contemporaneidade identificadas como regimes autorit√°rio-burocr√°ticos, opressores e hostis √† democracia. O terceiro exp√Ķe os transtornos suscitados pelo processo de globaliza√ß√£o que possibilitaram a emerg√™ncia de concep√ß√Ķes nacionalistas e conservadoras, populistas e reacion√°rias, xen√≥fobas e racistas, criando condi√ß√Ķes para o surgimento e a ascens√£o ao poder de l√≠deres e movimentos autorit√°rios, inc√≠veis e anti-humanistas. O √ļltimo trata dos muitos atentados terroristas promovidos por seitas pol√≠tico-religiosas em diversos pa√≠ses e continentes, buscando explic√°-los por meio de fatores hist√≥rico-pol√≠ticos, tanto do passado secular quanto hodiernos.

----------

Professor titular de sociologia da Unesp

----------

Constringir a soberania popular?
Infort√ļnios pol√≠ticos
Corporativismo voraz
Desventuras de uma revolução
Incivilidade política







Fonte: Especial para Gramsci e o Brasil.

  •